Indonésia retoma buscas por desaparecidos após tsunami

O governo da Indonésia retomou nesta quarta-feira (26) os trabalhos de busca das 154 pessoas desaparecidas após o tsunami que atingiu no sábado (22) as ilhas de Java e Sumatra. O último balanço oficial indica que 430 pessoas morreram, mais de 1,4 mil ficaram feridas e mais de 16 mil estão desalojadas.

As ondas gigantes engoliram vilarejos de pescadores e resorts de férias, deixando o litoral repleto de fragmentos de madeira de casas, veículos esmagados e árvores caídas.

Neste quarto dia de busca por sobreviventes, a chuva voltou a complicar a missão das equipes de resgate, que se concentram na cidade de Sumur, no sudoeste de Java.

Cães farejadores reforçam as equipes, que tentam chegar aos vilarejos mais isolados e auxiliar centenas moradores bloqueados nas pequenas ilhas do estreito de Sunda. As autoridades pretendem resgatá-los de helicóptero ou barco.

Milhares de desabrigados permanecem em refúgios ou hospitais. Os trabalhadores humanitários advertiram que os recursos de água potável e medicamentos são insuficientes, o que gerou um alerta para uma possível crise sanitária.Indonésia lança alerta para chuva forte na região atingida por tsunamiBom Dia Brasil–:–/–:–

Indonésia lança alerta para chuva forte na região atingida por tsunami

Indonésia lança alerta para chuva forte na região atingida por tsunami

Na tarde desta terça-feira (25), centenas de pessoas buscaram pontos mais altos do distrito de Sumur, na ilha de Java, depois de ouvir uma nova explosão no Anak Krakatau. No entanto, a erupção não provocou grandes consequências.

A Agência Nacional de Gestão de Desastres da Indonésia afirmou que o sistema de alerta de tsunamis provocado por vulcão não funciona desde 2012. As boias instaladas para detectar uma repentina alta da maré foram alvo de vandalismo. As autoridades também não têm os recursos necessários para fazer a manutenção do sistema.

Tsunami 2004

A Indonésia lembra nesta quarta-feira (26) das 167.799 pessoas que morreram devido ao grande tsunami que atingiu o país em 2004, provocado após um terremoto de magnitude 9,3 no norte de Sumatra. O tremor também deixou vítimas em outros países banhados pelo Oceano Índico. As estimativas oficiais apontam que 230.723 pessoas morreram.

Diferentes cerimônias religiosas estão marcadas para a noite na província de Aceh, a mais afetada pela tragédia.

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Combinação de fatores

De acordo com autoridades, o tsunami pode ter sido provocado por um aumento repentino da maré provocado pela lua cheia, combinado com uma avalanche no fundo do mar após a erupção do Anak Krakatoa, que forma uma pequena ilha no estreito de Sunda.

Anak Krakatoa está em uma pequena ilha vulcânica que surgiu no oceano meio século depois da letal erupção do vulcão Krakatoa em 1883. É um dos 127 vulcões ativos da Indonésia.

“A combinação provocou um tsunami repentino que atingiu a costa”, afirmou Nugroho, antes de destacar que a Agência Geológica da Indonésia trabalha para elucidar o que aconteceu exatamente.

As erupções vulcânicas submarinas, que são relativamente incomuns, podem provocar tsunamis pelo deslocamento repentino de água ou deslizamentos em encostas, de acordo com o Centro Internacional de Informação sobre Tsunamis.

Anel de Fogo do Pacífico

Infográfico mostra Anel de Fogo do Pacífico — Foto: Karina Almeida/G1

Infográfico mostra Anel de Fogo do Pacífico — Foto: Karina Almeida/G1

A Indonésia, uma das áreas mais propensas a sofrer catástrofes no planeta, fica no Anel de Fogo do Pacífico, onde se encontram placas tectônicas e que registra grande parte das erupções vulcânicas e terremotos do planeta.

O país sofre com frequência terremotos violentos, o mais recente deles na cidade de Palu, na ilha Célebes, onde milhares de pessoas morreram vítimas de um tremor e posterior tsunami.

Do G1