Camilo diz que Estado se ‘preparou’ para série de ataques e garante que será ‘duro’ contra o crime

A série de ataques tomou uma proporção que deixa os cearenses amedrontados, prejudica serviços públicos básicos e fecha grande parte do comércio. Em entrevista exclusiva ao canal Globo News, na manhã desta quarta-feira (9), o governador Camilo Santana afirmou que o Estado se preparou para o onda criminosa e garantiu que será “duro” com a criminalidade.

“Quero garantir que seremos duro contra o crime, dentro do sistema prisional e fora. Nós nos preparamos para este momento, não é a toa que você não vê nenhum problema no sistema prisional do Ceará. Não há nenhuma rebelião, e estamos transferindo presos, tirando comunicação. A reação tem sido toda aqui fora e temos colocado todas as Forças de Segurança para garantir a segurança. São momentos duros, mas necessários para garantir, a médio e longo prazo, um Estado melhor, mais seguro, com menos violência para a população cearense”.
Camilo confirmou a transferência de 21 presos líderes de facções criminosas, do sistema penitenciário estadual para os presídios federais, e revelou que mais detentos com posições de liderança devem ter o mesmo destino. O governador relacionou a forte ação da Secretaria da Administração Penitenciárioa (Seap), comandada por Luís Mauro Albuquerque, dentro das unidades prisionais, à série de ataques registrada nas ruas.

“Infelizmente, a polícia prende o bandido, um líder e ele vai para o presídio, e comanda o crime lá de dentro. O que nós estamos fazendo é cumprindo a lei dentro dos presídios, a ordem, a disciplina, tirando comunicação. O que está acontecendo no Ceará é uma reação desse crime organizado nas ruas do Ceará. Eu tenho colocado que esse enfrentamento precisa ser feito, com clareza e dureza, para combater o crime no Estado”, ratificou.

Serviços públicos básicos, como transporte coletivo e coleta de lixo, estão prejudicados pela onda de violência. O comércio conta perdas, com as portas fechadas, nos últimos dias. Camilo garantiu que essa é uma preocupação do Estado e está tomando as providências necessárias para a rotina ser restabelecida.

“A preocupação é exatamente essa, garantir os serviços públicos à população. O principal deles é o transporte público, nós estamos hoje com 1.200 homens só da Polícia Mulitar para garantir o acompanhamento da população de Fortaleza no transporte público. Também criamos um gabinete de situação, que tem a participação da Prefeitura de Fortaleza, para garantir também um acompanhamento da coleta de lixo, dos serviços de energia e de água para a população. Sei que é um momento difícil para a população, mas é importante colocar para a população brasileira que essa é uma ação forte que o Governo do Estado está tendo dentro do sistema prisional”, ponderou.

Do DN