Deputados iniciam disputa pelas comissões da Assembleia Legislativa

Deputados estaduais cearenses iniciam, hoje, uma série de reuniões com o presidente da Assembleia, José Sarto (PDT), para definir quem serão os presidentes das 18 comissões técnicas permanentes da Casa. Alguns partidos, no entanto, já dão como certa a direção de alguns colegiados.

O PDT, por exemplo, pretende ficar no comando de seis comissões, dentre elas as de Constituição e Justiça, Orçamento, Finanças e Tributação e de Fiscalização e Controle.

Algumas lideranças partidárias ainda não resolveram como será a atuação das suas legendas, se em blocos ou permaneceriam isoladas. Há sinalizações, porém, da constituição de bancadas, como a que foi sondada entre PT e PCdoB, ou até uma coligação mais ampla de partidos aliados do governador Camilo Santana.

Somente a oposição se uniu em um bloco para conseguir mais espaços na Casa. PSL, PSDB e PROS conseguiram, dessa forma, a garantia do presidente da Mesa Diretora para presidirem até dois colegiados da Assembleia. O deputado Soldado Noélio (PROS) deve ser o líder do grupo.

Delegado Cavalcante (PSL) tende a presidir a comissão de Defesa Social, e Nelinho (PSDB) será o presidente da comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca. Os opositores também garantiram espaços nas comissões de Constituição e Justiça, Orçamento e Saúde, como membros.

Maior partido da Casa, com 14 deputados, o PDT, além da presidência da Casa e da primeira secretaria, terá o direito de presidir outras seis comissões técnicas, incluindo a CCJ e a de Orçamento e Fiscalização. O grupo será liderado por Guilherme Landim (PDT).

Disputa

O deputado Tin Gomes (PDT) tem interesse em ocupar a presidência da comissão de Orçamento, mas o MDB quer que o colegiado seja presidido por Walter Cavalcante (MDB). A legenda emedebista foi beneficiada com a segunda vice-presidência da Mesa Diretora, que ficará sob o comando de Danniel Oliveira.

O deputado Elmano de Freitas (PT) afirmou que a bancada petista ficou satisfeita com os espaços oferecidos. Além da vice-presidência, a legenda comandará a comissão de Educação e um outro colegiado.

Elmano deve continuar na administração da Universidade do Parlamento Cearense (Unipace), e, provavelmente, será o líder do Governo. Para o petista, a criação de um bloco partidário “ajuda, mas retira a liderança petista. Se for para ajudar o Governo, não temos restrição, mas temos preocupação do PT deixar de ter um líder”, disse.

Outra disputa deve ser travada pela presidência das comissões de Educação e de Saúde. Representante do PR, a deputada Silvana Oliveira quer comandar uma delas. Carlos Felipe (PCdoB), por sua vez, também tem interesse na comissão de Saúde.

O PP tende a ter cinco representantes na Assembleia, com ingresso do suplente Lucilvio Girão (PP), no lugar de Zezinho Albuquerque (PDT), que vai para a gestão Camilo; e filiação de Apóstolo Luís Henrique (Patri), que deverá ser o líder do partido.

Membros da legenda dão como certa a permanência do deputado Fernando Hugo na presidência da comissão de Defesa do Consumidor e vão em busca da presidência de outras duas comissões. O partido já foi contemplado com espaço na Mesa.

Do DN